2a SEMANA  Baseado na meditação do dia 10 de setembro

 Quebra-gelo (5 min) – Existe alguma coisa que você tenha muita dificuldade em ficar sem (ex.: redes sociais, televisão, refrigerante, chocolate, etc.)?

 Tempo de Orar (5 min) – Vamos orar para que a presença de Deus seja perceptível hoje entre nós.

 Tempo de Cantar (5 min) – Escolha um cântico que fale sobre nossa missão de amar as pessoas.

 Tempo de Compartilhar a Palavra (25 min) – Leia a meditação do dia e depois envolva os presentes nas seguintes perguntas:

 1. Em sua opinião, o que leva uma pessoa ao uso e abuso de drogas lícitas e ilícitas?

 2. Você já teve alguma experiência (positiva ou negativa) ao ministrar a um dependente químico? O que você aprendeu com essa experiência?

 3. O que você pode fazer, além do que já tem feito, para ajudar a aliviar esse grande problema?

 Tempo de Orar (10 min) – Se for possível, peça a cinco pessoas para orarem em voz alta pelos pedidos do dia.

 Tempo de Multiplicar (5 min) – Orem por amigos e conhecidos que estejam passando pelos problemas enfatizados neste encontro.

DEPENDÊNCIA QUÍMICA, UM DESAFIO

 “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes.” Mateus 9.12

Deus tem um plano de salvação para todos os homens, independentemente de seus vícios, desejos, mazelas e pecados. Nossa geração vive diante de um grande

desafio: a dependência química.

A questão do consumo de drogas lícitas e ilícitas tem sido discussão recorrente nas instâncias governamentais, não só em nossa nação, mas em todos os países do mundo. Como num efeito dominó o consumo de drogas acarreta muitas

outras dificuldades, tais como violência, pobreza, destruição e finalmente a

morte. Hoje falamos de consumo de drogas como uma epidemia, que de

fato é. Numa sociedade adoecida e enfraquecida pelo pecado, a droga é um

vírus oportunista.

Estamos envolvidos numa grande e desafiadora obra, que é levar o amor de Cristo a esta geração cuja via de fuga tem sido a dependência química. Atuando neste

ministério, temos visto diariamente as consequências desastrosas dessa fuga. Enquanto você passa os olhos por estas palavras há homens, mulheres, jovens, adolescentes e, pasme, até idosos, sendo levados a uma rota cujo fim é o abismo. Embora existam muitas tentativas de possíveis caminhos para resolver esta questão, nós temos em mãos, como povo de Deus, a solução real para este problema. Não desprezando o conhecimento humano, pois tem o seu lugar, mas há Um que realmente salva e transforma as vidas: JESUS.

Diante da grande demanda, fazemos pouco, muito pouco. Temos muito mais a fazer “antes que a noite chegue”. Esse ministério exige de nós um comprome-timento profundo! Deus mandará chuva no momento oportuno, mas nós somos responsáveis em arar a terra e “lançar a semente”, mas é fundamental regar (discipular), tirar os carrapichos, cuidar de perto. Aqui o evangelho é realmente a “Boa-Nova”, maneira de viver, o exemplo de Jesus. Ele falava e fazia. Nós também falamos, mas precisamos fazer, estender a mão e cuidar. Em Lucas 10.34 e 35 estão apenas dois versículos apresentando a hospedaria, que será o lugar onde o espancado vai passar por muitos versículos discipuladores, com a unção do Espírito Santo.

Temos esperança que você se comprometa com Deus neste tempo, de orar fiel-mente por este ministério e investir nele. Deus o abençoe!

IGREJA BATISTA DO CALVÁRIO – SÃO JOÃO DO PARAÍSO – MG

www.ibatistacalvario.com.br

www.marcelooquadros.blogspot.com